sábado, 28 de junho de 2008

::Frase do dia::

"O mundo entra na era da informação e do conhecimento. Isso

tem provocado novas mudanças na sociedade e na escola. Por

isso, novos conhecimentos precisam ser desenvolvidos. É preciso

aprender a lidar com essa nova situação.

Pode-se mudar as duas coisas ao mesmo tempo?

Passar da sociedade da produção para a sociedade do

conhecimento e ao mesmo tempo passar da sociedade

individualista para uma sociedade mais humana e justa? Ou

não? É uma opção, de cada um e de todos."

(VALLIN, 2003, p. 112)

sábado, 14 de junho de 2008

::Internet faz mal?::

Não consegui não postar sobre o assunto! Hoje em dia tudo é "doença". E para tudo se tem um "remédinho" básico! Não sou criativa como o Cardoso, então uso as idéias dele no post Afe. Vício em Internet agora é distúrbio mental


Mas, criativos mesmo são os médicos, nomeando toda e qualquer emoção sob suspeita de uma patologia maléfica. E mais remédio!!! Tenho pânico (e não me medico) em constatar quantos alunos são medicados porque são "ativos" demais, "tristes" demais, "falantes" demais... Eles não são crianças?

Agora, como professora de informática educativa, tenho que engolir que a Internet faz mal!!!! E que crianças serão tratadas quimicamente por estarem viciadas na grande rede. Tenho que citar o Cardoso:

"Será que essas crianças não estariam mais felizes sendo crianças, sem culpa ou diagnóstico, ao invés de ter que tomar Ritalina por… agirem como crianças? Será que ao invés de achar mil culpas (agora é a Internet) não seria melhor aceitar que o problema está nos indivíduos? "Eu sou bonzinho,a Internet que me fez assim". Não, meu amigo. Se você deixa de comer e ir ao banheiro para ficar jogando, você tem problemas, não a Internet."

Claro que doenças existem! Mas a culpa sempre está no outro (e nas “coisas”), nunca nas pessoas. A família não contribui em nada??? Parece que agora a culpa é do computador, há pouco tempo era da televisão...

Bom, proponho a leitura do post sobre o assunto lá no Contraditorium. Clique aqui para ler.


::Como inserir um botão de comentário no seu blog::

Fazia tempo que eu queria inserir um botão que chamasse mais atenção para os comentários. Hoje, finalmente, resolvi/consegui tirar um tempo para fazer isso!

Achei as dicas no Usuário Compulsivo (não deixe de passar lá para conferir todas as dicas). O post Botões e ícones de comentários no Blogger tem um passo a passo para quem quer incluir este recurso. Clique aqui para acessar.

Uma boa dica para quem quer criar seus botões é o site Buttonator.com. Eu fiz o meu por lá: simples e rápido, com recursos básicos mas eficientes.

Agora vamos ver como vai se comportar o fluxo de comentários neste blog...

::Como publicar no Blogger usando o Google DOCs::


Acabei de descobrir esta possibilidade! Este post foi feito direto no Google Docs e enviado para . É simples:

1°) Abra o Google Docs
2°) Produza seu arquivo
3°) Salve ele!!!
4°) Na aba "compartilhar" selecione a opção "publicar como página web"
5°) Escolha "postar no blog" e preencha com seus dados
6°) Pronto! Seu post está no ar!!!!

::VANTAGENS::

>> Todos os recursos de formatação que o GDocs oferece e o Blogger não! Um exemplo: TABELAS!





>> Os recursos de estilo que não estão disponíveis no editor do Blogger, como riscado, sobreescrito, subscrito, sublinhado, Ou todos eles juntos...

>> Criar links com a opção automática de "abrir em uma nova página"

::DESVANTAGENS::

>> Não inclui o título no post (PROBLEMA RESOLVIDO)

>> Não inclui os marcadores
>> Se você resolver editar o post no Blogger sai tudo do lugar :<
Então é necessário voltar ao GDocs para fazer o serviço!

::INCLUIR TÍTULO::

Graças ao Robson Arruda, consegui inserir o título na postagem do blog - muito simples!!!

Na hora da edição do texto, o título deve ficar como marcador h3:

Menu do Docs>Formato>Cabeçalho menor


De qualquer forma, gostei na opção! Estou gostando cada vez mais desta opção!!! Mais um Um bom recurso para quem quer usar alguns recursos de formatação a mais!

A dica original, encontrei no blog Usuário Compulsivo. Se você quer saber o que ele tem a dizer sobre o assunto, clique aqui

::TESTE BLOGGER X GDOCS::

Estou testando a publicação de documentos feitos no GDocs direto no Blog. Especialmente no que se refere ao título, marcadores e a formação. Vamos ver se dá certo? Como ficam as TABELAS?
E os recursos de estilo como riscado, sobreescrito, subscrito, sublinhado, Ou todos eles juntos...

RESULTADOS:

Se você resolver editar sua postagem no Blogger, as alterações não vão para o documento original do Google Docs.

É possível inserir o título, os marcadores e alterar as opções de postagem, porém ele perde algumas características da formatação inicial, como os parágrafos, mas mantem a tabela e os recursos de estilo.

Foi isso que eu descobri. E você, tem alguma contribuição? Não esqueça de deixá-la aqui nos comentários!

sexta-feira, 13 de junho de 2008

::Dicas para blogueiros: Revista Feed-se::

Vale a pena dar uma lida:

DESTAQUES:

>> Nando Kanarski:
5 Coisas que você precisa aprender com o Google

>> Nospheratt:
O Amor em 41 Lições, Segundo Homer Simpson

>> Guilherme Nascimento Valadares:
O Tal do Blogueiro Motivado em 11 passos

>> Bender Blog:
Blogando mundo afora

>> Dudu Tomaselli:
Os blogueiros, o conhecimento e a felicidade


Para ler a revista na íntegra, clique aqui.

sexta-feira, 6 de junho de 2008

::O Rádio na Escola::

::RÁDIO ESCOLA::

O Programa Rádio Escola desenvolve ações para escolas públicas ou junto a comunidades visando a utilização da linguagem radiofônica. O Programa da Secretaria de Educação a Distância - SEED, desenvolve ações que utilizam a linguagem radiofônica para o aprimoramento pedagógico de comunidades escolares, o desenvolvimento de protagonismos cidadãos e o treinamento de grupos profissionais.

O material constituído por programas radiofônicos educativos destinados a apoiar a capacitação e atualização de milhares de professores alfabetizadores em todo o país está disponível online:

>> SÉRIE DO PROFESSOR: programas radiofônicos que oferecem subsídios para a discussão de questões e temas a serem trabalhados em sala de aula, tais como meio ambiente, manifestações culturais, diversidade textual, cidadania e ética.

>> SÉRIE DO ALUNO: programas de rádio produzidos a partir do tema cantoria de viola nordestina que podem ser utilizados como material didático de apoio em sala de aula. As sugestões de atividades podem ser adaptadas a qualquer nível de ensino, apesar de terem sido desenvolvidas para a Educação de Jovens e Adultos.

>> SÉRIE DO RADIALISTA: 60 programas produzidos pelo projeto Rádio Escola especialmente para emissoras de rádio. Os programas apresentam estratégias de ensino e dá dicas de atividades que facilitam o trabalho do alfabetizador em sala de aula.

Todo o material está disponível em:

http://portal.mec.gov.br/seed/index.php?option=content&task=view&id=155&Itemid=292

::EDUCOMRADIO.CENTRO-OESTE::

O Projeto Educomradio.centro-oeste é o resultado de um curso de aperfeiçoamento intitulado "Educomunicação pelo rádio em escolas do ensino médio da Região Centro-Oeste". O objetivo do curso é introduzir o conceito e os procedimentos da educomunicação nos espaços educativos de escolas do ensino médio da região Centro-Oeste por meio da formação de um grupo de seus profissionais de educação para o uso da linguagem e da produção radiofônica no contexto escolar.

As produções do curso podem ser acessadas pelo site:

http://www.usp.br/educomradio/centro-oeste/index.asp

O curso é desenvolvido pelo NCE-ECA/USP – Núcleo de Comunicação e Educação da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo. No site do NCE há um excelente material sobre Educomunicação, com referências bibliográficas, sites e textos sobre o assunto:

http://www.usp.br/nce/

Para quem estiver interessado em montar uma rádio na escola, sugiro o link com os manuais de implementação de Rádio Escolar:

http://www.usp.br/nce/manual/paginas/

::ESCOLA BRASIL::

O Projeto MEC - Escola Brasil é um programa radiofônico diário patrocinado pelo MEC-SEED, co-produzido pela ONG Escola Brasil com o objetivo de promover a educação informal de qualidade, os direitos da infância e da adolescência, dos idosos, dos indivíduos com deficiência, especialmente aos residentes no interior do Brasil e regiões periféricas dos centros urbanos do Brasil.

O programa, de trinta minutos diários, é veiculado de segunda a sexta, às 20 horas (horário de Brasília), pelas rádios Nacional de Brasília (AM - 980 KHz), Nacional da Amazônia (OC - 11.780 KHz/25m e 6.180 KHz/49m) e pelo satélite da Radiobrás para todo o Brasil (Banda C-3.770 MHz, polarização horizontal), além de outras emissoras parceiras espalhadas por todo o País.

No site http://www.escolabrasil.org.br/ é possível acessar a listagem dos programas para ouvir online ou ainda fazer download dos arquivos. O material é rico e trata de assuntos variados. Possivelmente você encontrará alguma coisa que possa trabalhar com seus alunos.


::PROJETO RÁDIO-ESCOLA::

O Projeto RÁDIO-ESCOLA nasceU da experiência do GENS - Serviços Educacionais com o Projeto Cala-boca já morreu que, desde 1995, vem se consolidando como uma proposta de Educação pelos Meios de Comunicação.

O projeto se compõem de ações voltadas à formação de professores, coordenadores, diretores e supervisores de ensino, para que compreendam a necessidade de incluir a comunicação no currículo, bem como a implantação e gestão da comunicação no espaço escolar.

No site do projeto há um rico material didático disponível, composto por um vídeo didático "Instalação do Equipamento de Rádio"; folheto para acompanhamento do vídeo didático; "Utilizando o Equipamento de Rádio - O Caminho do Som"; web-animação didática que explica o processo de montagem da aparelhagem de rádio básica das escolas; "O Gravador" - conheça as funções do gravador de mão; Folheto didático "Gravador de mão, tipo repórter"; e outros textos.

Para acessar:

http://www.portalgens.com.br/radio-escola/#


::RÁDIO RECREIO::

A Rádio Recreio é um projeto da oficina de rádio escolar do PET José Emygdio de Olveira, do Rio de Janeiro, que conta com dois programas INFORME JOVEM e o Tô na ÁREA. As atividades começaram em 2003 e foram experimentadas diferentes possibilidades de exploração dessa mídia.

O projeto iniciou com a Rádio Pátio, transmitindo programas na hora do recreio, através de sistema de som com caixas acústicas distribuídas pelo pátio da escola (o nome da rádio surgiu daí).

Posteriormente, foi implantada a gravação dos programas através da conexão da aparelhagem de som a um computador, utilizando softwares para gravação e edição de arquivos de som, o que permitiu a produção de CD's dos programas, dando "asas" a rádio.

Também foram feitas experiências de transmissão da rádio via STREAMING, auxiliados por um software que permite a difusão de arquivos de som via internet que podem ser acessados através da conexão de um endereço IP.

Atualmente o projeto disponibiliza um PODCAST, que pode ser acessado nesse endereço: http://radiorecreio.podomatic.com

Para saber mais sobre os projetos acesse:

http://geocities.yahoo.com.br/vitor_nc

Oficinas de Mídia
Informática Educativa, Rádio e Imprensa Escolar


:: Projeto CAIC Mariano - Rádio Web::

Projeto coordenado pela professora Gládis dos Santos (http://professoragladis.blog.br), tem como objetivo montar uma rádio web para a escola divulgar as atividades desenvolvidas pelos alunos e professores, abrindo um canal a mais de comunicação com a comunidade valorizando o trabalho dos alunos.

Os programas produzidos podem ser escutados no podcast:

http://caicmariano.podomatic.com/

É muito interessante acompanhar toda a experiência através do wiki criado para registrar todos os passos do projeto:

http://saladeaula.wikispaces.com/Podcast


quinta-feira, 5 de junho de 2008

::Atividades sobre o Meio Ambiente::

Aproveitando que hoje, 05 de junho, é dia do Meio Ambiente, quero divulgar alguns links interessantes:

>> Smart Kids

Dicas e atividades


>> Nova Escola

Edição especial: Meio Ambiente, conhecer para preservar

segunda-feira, 2 de junho de 2008

::Provinha Brasil::


A revista Nova Escola publicou uma reportagem online, entitulada Especialistas questionam Provinha Brasil, analisando a Provinha Brasil, avaliação elaborada pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), do Ministério da Educação (MEC). Com o objetivo de diagnosticar a aprendizagem dos estudantes com um ano de escolaridade fundamental, o exame testa habilidades descritas na Matriz de Referência de Avaliação em Alfabetização e Letramento, elaborada pelo MEC.

Como eu apliquei a Provinha, fiquei interessada na matéria e compartilho aqui algumas idéias!

Amaury Grenaldi, diretor de Avaliação para a Educação Básica do MEC, diz que:

“Nossa idéia é criar parâmetros mínimos e comuns de avaliação para as séries iniciais do Ensino Fundamental.”

Importante quando pensamos no tamanho deste país e nas grandes diferenças curriculares que existem.

A professora Esther Grossi do Geempa, considera a avaliação inadequada. Entre os seus argumentos:

“Infelizmente, a Provinha tem várias inadequações. Em primeiro lugar, ela reflete a idéia de que se aprende do mais fácil ao mais difícil, do ponto de vista do conteúdo, e não por meio de campos conceituais. (...) A lógica dos níveis da Provinha Brasil não tem nada a ver com essas formulações científicas, já amplamente aceitas mundo afora. O mesmo vale para os descritores de habilidades da Provinha, porque o campo conceitual da Alfabetização não ordena o conhecimento da escrita e da leitura primeiro de palavras ou de letras, para só depois chegar aos textos.(...) Em segundo lugar, a alfabetização considerada como a competência básica mínima de entrada no mundo da escrita pode e deve ocorrer em um ano letivo. É um equívoco de graves conseqüências práticas o prolongamento do tempo de alfabetização para dois anos.”

Cisele Ortiz, psicóloga e formadora do Instituto Avisalá, dia que a Provinha Brasil é uma boa tentativa de começarmos a fazer o diagnóstico da alfabetização nas séries iniciais:

“Por meio dela, os professores terão chance de saber como está o nível da turma e também terão uma idéia de que tipo de proposta podem realizar com base nos resultados. É importante destacar o caráter pedagógico da avaliação. A finalidade não é classificar as crianças, mas orientar as ações pedagógicas do professor com sua turma, do coordenador com seus professores e do gestor com sua escola. Prioritário nesse sistema de avaliação é assegurar que o resultado da avaliação seja considerado na construção de uma política pública de formação para o professor, forma mais eficiente de melhorar a qualidade do ensino e, logo, os impactos na aprendizagem.”

A equipe do Centro de Educação e Documentação para Ação Comunitária (CEDAC), afirma que:

“O principal mérito da Provinha Brasil é o fato de que a avaliação dos saberes dos estudantes é vista como um subsídio para o planejamento do ensino, de modo a atender às reais necessidades dos alunos, identificadas por meio da análise dos resultados obtidos. (...) O fato de que gestores escolares e outros profissionais - como os coordenadores pedagógicos ou supervisores - estejam envolvidos no processo, desde a discussão que precede à aplicação, na qual se pode conhecer o objetivo e as características da avaliação, até o momento de tomadas de decisões coletivas com base na análise dos resultados, é outro aspecto que nos parece potencialmente produtivo. (...)Por fim, mencionamos outro aspecto positivo: o fato de que no documento Provinha Brasil - Reflexões sobre a Prática são oferecidas aos professores e gestores orientações referentes ao que fazer após a análise dos resultados – evidenciando-se a intenção de que o instrumento de fato cumpra uma função diagnóstica que necessita ter continuidade com a realização de outras ações variadas e articuladas.”

Essas são algumas idéias com as quais concordo – inclusive a da Ester! Para ler a reportagem na integra, clique aqui.

Para saber mais sobre a Provinha Brasil, clique aqui.

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.