terça-feira, 14 de agosto de 2012

Uso seguro da internet na escola - Parte 2

Todos estão preocupados com o uso que nossas crianças e jovens tem feita da internet, principalmente, na escola. Já sugeri aqui no Bloguinfo um debate com os alunos a partir do que a sociedade está dizendo por aí com o objetivo de construir regras de uso da internet: o que podemos fazer na escola?

A ideia é pesquisar notícias que tenham relação com o USO DA INTERNET por jovens e crianças e organizar um jornal mural, painel ou blog sobre o tema. deixe exposto para que a comunidade escolar tenha acesso as informações: alunos, pais, professores. Depois converse com os alunos em uma roda de conversa sobre o assunto, resgatando os fatos apresentados nas notícias. Provoque a reflexão pedindo o que eles fariam se estivessem nessa situação ou emitindo pareceres sobre as notícias. A partir das ideias debatidas construa as Regras de uso da internet na escola. Definam de forma coletiva quais são as condutas aceitáveis na escola como, por exemplo, acessar sites educativos.

Para ajudar nesse debate separei algumas notícias. Filtre o conteúdo de acordo com a faixa etária dos seus alunos:

::PERIGOS:: 
  1. Apenas um terço da população do Brasil tem acesso à internet em casa
  2. Polícia identifica jovens de classe média que aterrorizam São Paulo
  3. As polêmica em torno da Lei de Acesso à Informação
  4. Vírus pode deixar milhares de pessoas sem internet
  5.  Onda high tech: é possível viver sem tecnologia?
  6. Escolas tomam medidas extremas para evitar uso de celulares 
  7. Consumidor compra computador na internet e recebe dois tijolos  
  8. Piratas da internet atacam comunidade mundial de jogos online   
  9. Pirataria gera prejuízos e queda no número de empregos 
  10. Brasil é o país da pirataria   
  11. Congresso discute saídas para proteger direitos autorais na internet  
  12. Para jovens, sexting parece ser parte normal do namoro
  13. Metade das Crianças são Atormentadas por Bullying Online
::POTENCIALIDADES::
  1. Redes sociais geram oportunidades de trabalho para jovens 
  2. Como internet modifica comunicação na periferia 
  3. Confira um guia para aumentar sua privacidade e segurança na internet 
  4. Internet ajuda a resolver problemas das cidades
  5. Feira em SP traz novidades para sala de aula, como cinema e videogame 
  6. Especialistas dão dicas sobre como manter privacidade no mundo digital 
  7. Vale do Sicílio reúne jovens ricos que não esbanjam e vivem com discrição 
  8. Centros Digitais de Cidadania dispõem de 5.600 vagas para jovens
  9. Programa de qualificação oferece cursos gratuitos para jovens
  10. Jogos da internet terão classificação por faixa etária  
  11. EUA ampliam privacidade infantil na internet
  12. Crianças de hoje são mais inteligentes?‎ 
  13. Saiba como definir regras para as crianças usarem o computador

segunda-feira, 13 de agosto de 2012

Uso seguro da internet na escola - Parte 1

Sempre nos preocupamos sobre o uso da Internet na escola. Mas afinal, qual é o nosso papel nesse contexto? O que cabe ao professor? Eu já escrevi sobre o assunto aqui, aqui e aqui.

Inspirada pelo meu colega Alexandre que fez uma palestra sobre Segurança e legalidade: Internet e outras mídias, fui buscar outros materiais sobre o assunto porque acredito que devemos achar o caminho entre a legalidade e as possibilidades que a rede nos oferece.

POR ONDE COMEÇAR?

Eu gosto de CONVERSAR com os alunos sobre o assunto, afinal a mídia tem nos bombardeado com notícias que podem provocar o debate.

COM OS PEQUENOS:
  1. Organize uma roda para conversar.
  2. Pergunte às crianças o que elas costumam fazer na internet - em casa e na escola.
  3. A partir da histórias dos pequenos formule questionamentos para analisar como elas reagiriam, por exemplo: se você receber uma mensagem estranha quando estiver em um site de jogo virtual?
  4. Tenha imagens que representem diferentes situações de risco ou usuais como copiar e colar conteúdos. Existem diversas cartilhas para ajudar.
  5. Provoque a reflexão e deixe que eles exponham espontaneamente seu posicionamento.
  6. No final, de forma crítica e a partir das considerações dos pequenos, construam de forma coletiva as Regras de uso da internet na escola. O que eu posso fazer e o que eu devo evitar?

COM OS MAIORES:
  1. Faça uma seleção de notícias sobre o assunto em jornais impressos e virtuais junto com seus alunos.
  2. Compartilhem essas informações no mural da sala de aula, em um painel ou blog da escola.
  3. Dê um tempo para que as pessoas envolvidas (alunos, pais, professores) se apropriem das informações e, quem sabem, façam suas contribuições incluindo novas notícias, por exemplo.
  4. Organize uma roda de conversa sobre o assunto, resgatando os fatos apresentados nas notícias.
  5. Provoque a reflexão dos alunos pedindo o que eles fariam se estivessem nessa situação ou emitindo pareceres sobre as notícias.
  6. A partir das ideias dos alunos construa as Regras de uso da internet na escola. Definam de forma coletiva quais são as condutas aceitáveis na escola como, por exemplo, acessar sites educativos.
MATERIAL DE APOIO

Os links abaixo podem ajudar:
http://www.safernet.org.br/site/prevencao/cartilha/safer-dicas

http://www.microsoft.com/pt-br/security/default.aspx

http://www.internetsegura.org/nsegura/filhos_mantenha_familia.asp

http://cartilha.cert.br/
ESSE ASSUNTO
CONTINUA AQUI

sexta-feira, 10 de agosto de 2012

Dia do Estudante


Em 11 de agosto comemoramos o DIA DO ESTUDANTE, a fim de valorizar aqueles que se dedicam a aquisição do conhecimento. Essa data foi escolhida para homenagear a criação dos dois primeiros cursos de nível superior no Brasil, em 1827 por Decreto de D. Pedro I, no ano de comemoração do centenário de criação dos mesmos.

MAS O QUE NÓS PODEMOS COMEMORAR?

Vamos conversar sobre o assunto na sala de aula e trabalhar com nossos alunos:

1) SmartKids:
http://www.smartkids.com.br/datas-comemorativas/11-agosto-dia-do-estudante.html

2) História sobre o Dia do Estudante:
http://www.arteducacao.pro.br/homenagem/estudante.htm

3) Projeto:
http://miguelitoeducacao.blogspot.com.br/2009/08/projeto-dia-do-estudante.html

4) Desenhos para colorir:
http://ensinar-aprender.blogspot.com.br/2011/07/atividades-para-o-dia-do-estudante.html

5) Atividades:
http://professoravaleriaeduc.blogspot.com.br/2011/08/atividades-para-o-dia-do-estudante.html

quarta-feira, 8 de agosto de 2012

Usando a internet na educação

Eu concordo com a Cinthia Rodrigues, do Portal iG, que escreveu o artigo: Professor não pode concorrer com a internet. Segundo especialistas:

"O apresentador de informações vai desaparecer, 
mas o educador que vai além delas é cada vez mais necessário."

Incluída ou não na aula, presente ou não na escola, a internet faz parte da rotina dos alunos. Em 2008, quando apenas 23% dos lares estavam conectados segundo o Ibope, o instituto já apontava que 60% dos estudantes tinham acesso à rede de algum modo. Em pesquisa realizada nas escolas estaduais do Rio de Janeiro em 2011, 92% disseram estar online ao menos uma vez ao dia.

“Ninguém pode concorrer com o Google em termos de informação. O professor que ia à frente da sala apresentar um catálogo vai desaparecer em 20 anos e ser substituído por um monitor”, afirma sem titubear o pesquisador emérito de Ciências da Educação da Universidade de Paris e visitante na Universidade Federal do Sergipe, Bernard Charlot. “Por outro lado, o professor que ensina a pesquisar, organizar, validar, resolver problemas, questionar e entender o sentido do mundo é cada vez mais necessário.”
Para complementar esse assunto, a Revista Nova Escola lançou o Guia de Tecnologia na Educação que traz as dicas de 20 especialistas no assunto, mostra 40 ferramentas gratuitas e muito úteis para todas as disciplinas e ainda conta as histórias de quem já usa a tecnologia dentro e fora da sala de aula com sucesso. 

E para finalizar, uma sequência de três vídeos com uma entrevista realizada em 2008 com o professor José Manuel Moran no programa Nós da Educação, abordando o uso da internet na educação, em temas como a aplicação das diferentes mídias na educação e a aprendizagem colaborativa




x

O que a internet muda nas nossas vidas

Dizem por aí que a internet está mudando nossas vidas. Isso é evidente! Porém, alguns cientistas da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, começaram a notar que a internet não tem servido apenas para satisfazer as curiosidades dos nossos cérebros, mas também reestruturá-los. Então, o que exatamente a internet fazendo com nossos cérebros? O site Universia publicou uma notícia sobre esse assunto.

Confira as 10 mudanças que a internet está provocando no seu cérebro:
  1. Memória
  2. Aprendizagem
  3. Atenção
  4. Pesquisas
  5. Aumento de QI
  6. Concentração
  7. Relevância
  8. Vício
  9. Distração
  10. Pensamento Criativo
Ficou curioso para saber mais? Clique aqui.

Fonte:
http://noticias.universia.com.br/destaque/noticia/2012/07/20/952344/10-coisas-internet-esta-mudando-no-seu-cerebro.html

Sobre uso dos computadores nas escolas

Tenho pesquisado muito sobre esse assunto e deixo aqui algumas sínteses das minhas reflexões:

[...] as pessoas ainda acreditam que os recursos tecnológicos podem salvar a educação.

[...] a grande aposta que se faz em relação a tecnologia é a motivação do aluno. Mas o que a gente faz com os equipamentos quando a euforia inicial passa?

[...] nossos alunos já estão acostumados com o mundo digital, o grande desafio é preparar o professor que vai trabalhar com esse aluno a entender esse universo e ser capaz de criar estratégias de aprendizagem com novas ferramentas.

Em entrevista a Revista TIC Educação Eugenio Severin, especialista em tecnologia e educação, foi consultor do BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento) em TIC na educação para a América Latina, diz que a tecnologia sozinha não é capaz de fazer milagre:
"Vejo uma oportunidade de reformulação, em que as tecnologias são importantes, não porque elas vão fazer a mudança, mas porque serão parte do fenômeno que vai obrigar a mudança e também serão parte da solução”.
"O problema não está na tecnologia, mas nos projetos educacionais que ainda apostam no uso incremental da ferramenta. Colocar a tecnologia em sala de aula sem pensar novas práticas educativas e sem capacitar os professores é a mesma coisa de comprar um piano, colocá-lo na sala e esperar que as crianças se tornem músicos.”
Leia a entrevista na íntegra com o professor Eugenio Severin aqui: www.ticeducacao.com.br/ticeducacao.php?edi=340&tabs=tab2

Leia também o resumo da mesa-redonda 'Tablets, notebooks e computadores na escola: políticas públicas em debate', realizada durante a 64ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC):
http://www.sbpcnet.org.br/saoluis/imprensa/texto34.php

terça-feira, 7 de agosto de 2012

Criando noticias de jornal

Seguindo minha amiga Marli na sua Blogosfera descobri esse aplicativo simples, mas que pode ter um grande impacto nas nossas aulas: um gerador de notícias que imita um jornal.


Os alunos podem criar suas reportagens reais ou fictícias, sobre os projetos desenvolvidos na sala de aula ou fatos que acontecem na escola. Depois é só criar uma imagem usando o The Newspaper Clipping Generator.
1) Inventar um nome para o jornal.
2) Incluir a data.
3) Criar um título para a notícia.
4) Registrar seu texto.
5) Clicar em GENERATE e pronto.

Depois de gerar a imagem o trabalho fica assim:


Experimente essa possibilidade:
http://www.fodey.com/generators/newspaper/snippet.asp

segunda-feira, 6 de agosto de 2012

Mais sobre a história das tecnologias

Olha que infográfico interessante:


Sobre tablets na educação

"A grande constribuição dos recursos digitais e 
o que de fato eles mudam é 
o envolvimento do estudante com a aprendizagem, 
produzindo e investigando os conteúdos."
Maria Elizabeth B. de Almeida

Sempre há uma nova tendência no uso das TICs na educação. Diria minha professora Tânia Azevedo: Educação Fashion Week. É mais ou menos assim que tenho me sentido... a cada dia surge uma novidade tecnológica e a sociedade acredita verdadeiramente que ela deve ser imediatamente incluída nas salas de aula. Será?

Tenho pesquisado e lido sobre os tablets já que a perspectiva é a de que logo, logo, eles cheguem nas salas se aula. Compartilho aqui algumas percepções:

1) Tablets na sala de aula: mais do mesmo
http://www.cartacapital.com.br/carta-na-escola/tablets-na-sabela-de-aula-mais-do-mesmo/

"O tablet tornou-se sensação entre usuários de tecnologia pela portabilidade e a possibilidade de acessar a internet ou ler livros digitais, por exemplo, com mais facilidade."
"A estratégia foi anunciada pelo ministro Aloizio Mercadante como forma de resolver o problema da evasão escolar no Ensino Médio: “A escola precisa se reinventar para atrair e dialogar com essa juventude”, afirmou na ocasião, ao dizer que o modelo de escola atual é do século XVIII e que é preciso renová-lo."

Jens Bammel, secretário da International Publishers Association, falou sobre a febre mundial dos tablets na educação no 3º Congresso Internacional do Livro Digital, em São Paulo: “Em todo o mundo, surgem políticos dizendo que é preciso trazer a sala de aula para o século XXI enquanto tiram fotos com iPads ao lado de crianças sorridentes. Na hora, discursam sobre como se isso somente fosse capaz de dar um salto nos indicadores de qualidade, porém, o que se forma é um ciclo de entusiasmo em que os governos repetem os mesmos erros: criam grande expectativa, as coisas se acalmam, as  pesquisas mostram pouco ou nenhum resultado e o projeto é enterrado quietamente. Até que um outro político descobre um novo aparato tecnológico com que desfilar diante das câmeras".
Sergio Ferreira do Amaral, professor da Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e pesquisador do Laboratório de Novas Tecnologias Aplicadas na Educação da instituição, vê com cautela o programa do ministério: “Não é preciso ser especialista para saber que é um fetiche comprar um aparelho sem planejamento pedagógico sério. O material não trará ganhos se só tiver animações. Boa parte do uso dos tablets é para leitura de arquivos de texto em formato PDF, quando ele tem um potencial para  muito mais que isso.”
Klaus Schlünzen Junior, coordenador do Núcleo de Educação a Distância da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (Unesp) afirma: “A iniciativa de disponibilizar tecnologia é importante, necessária, mas não suficiente para melhorar a educação brasileira. O grande problema é a formação de professores, ela deve ser intensa e acompanhar qualquer inserção de TICs nas escolas”.
O professor Sergio Ferreira. questiona: "Hoje, a maioria das escolas tem laboratórios de informática subutilizados. Não há projetos pedagógicos, os computadores são usados para fazer pesquisas, baixar coisas da internet, o que é muito pouco para o que a infraestrutura permite. Há o risco de o mesmo acontecer com o tablet”.
Num País em que é comum o relato de laboratórios de informática e mesmo bibliotecas que acabam trancados por medo de que os estudantes estraguem o que eles guardam, cabe refletir sobre como o educador vê a tecnologia.
Para Klaus, os ganhos tropeçariam, justamente, na desenvoltura dos professores em incorporar as possibilidades que a ferramenta oferece: “A tecnologia por si só não melhora a educação. Isso é algo óbvio e evidente. Educação é um processo humano que depende de bons professores. Ela precisa ser vista como um novo instrumento pedagógico como qualquer outro. Apenas aliada a um professor com boa formação inicial e continuada é que ela poderá trazer efetivos avanços.

2) Tablets substituem livros em escolas brasileiras
http://ultimosegundo.ig.com.br/educacao/tablets-substituem-livros-em-escolas-brasileiras/n1597608252795.html
“Com as ferramentas de interatividade, imagens animadas e geolocalização, qualquer lugar é transformado em sala de aula. É possível reinventar atividades como gincanas, trilhas de caça ao tesouro, que são extremamente educativas”, diz. No entanto, o engenheiro de sistemas eletrônicos Martin Restrepo alerta que um tablet na sala de aula não faz diferença se o professor for usá-lo apenas como PowerPoint. “O modelo pedagógico tem que mudar radicalmente”, defende.


3) No fim das contas, computadores não vão salvar a educação
http://tecnoblog.net/97675/olpc-peru/
Para terem sucesso em sala de aula, alunos equipados com computadores precisam, olha só, de bons professores. Confira o relatório do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) aqui: http://idbdocs.iadb.org/wsdocs/getdocument.aspx?docnum=36706954

domingo, 5 de agosto de 2012

Criando wikis na escola

Wiki é um termo proveniente do idioma havaiano, que significa "rápido". Um Wiki é um conjunto de páginas na Internet que qualquer pessoa pode editar e aprimorar; é uma espécie de documento colaborativo. Pode-se editar qualquer página simplesmente clicando na opção "editar". Saiba um pouco mais no vídeo abaixo:



Uma das principais características da tecnologia wiki é a facilidade com que as páginas são criadas e alteradas. A maioria dos wikis são abertos ao público ou pelo menos às pessoas que têm acesso a página, por isso, talvez, ele se tornou uma ferramenta extraordinária para a criação cooperativa de hipertextos.

À primeira vista, todo mundo suspeita que um Wiki rapidamente vai se transformar num verdadeiro caos, isto se não for vandalizado de vez. Nada mais errado, felizmente! Algumas vezes, até pode se encontrar artigos feitos por pessoas que nem sempre são especialistas no assunto, ou até vandalismo, substituindo o conteúdo do artigo. Porém, o intuito é, justamente, que a página acabe por ser editada por alguém com mais conhecimentos. Existem pressões sociais e normas da comunidade, mas talvez isso apenas não constitua burocracia, pois qualquer pessoa pode fazer as alterações que deseja. Nem o registro de usuários é obrigatório. E as outras pessoas geralmente gostam disso. Não há engarrafamentos, qualquer pessoa entra no site e contribui para o seu progresso. O projeto se auto-policia. A supervisão editorial é mais ou menos paralela às edições, o que acaba sendo muito eficiente.

ENTÃO, para ajudar minha amiga Cris em um projeto com seus alunos do Curso Normal nas aulas de Religião, fui explorar o Zoho Wiki. É uma ferramenta simples e similar a outros softwares populares que costumamos utilizar na construção de Wikis. Segundo o site iGov Explica:
O Zoho Wiki permite fácil manuseio e personalização, espaço de hospedagem ilimitado, e mais recursos que os outros disponíveis na web na versão gratuita. Entretanto, atenção: para cada usuário (cada endereço de email), o Zoho oferece gratuidade para apenas dois wikis. Para um terceiro, requer pagamento.  

Quer saber como ele funciona? Assista ao vídeo abaixo ou leia o tutorial a seguir:


::TUTORIAIS::

http://penta3.ufrgs.br/tutoriais/wiki-zoho/index.htm

http://igovexplica.wiki.zoho.com/Wiki-passo-a-passo.html 
 
Ideias? Sugestões? Deixe aqui nos comentários:

sábado, 4 de agosto de 2012

O mensalão para crianças

Quem disse que criança não pode entender a política? Quem sabe assim teremos uma geração mais consciente e atuante, interessada em defender seus direitos. O assunto do momento é o mensalão, e o Ministério Público Federal (MPF) criou uma página para explicar o caso para as crianças e adolescentes.

 

::ENTENDA O CASO::

1) Esse é um julgamento histórico por vários fatores: o número de réus, a extensão do esquema, e a própria relação de envolvidos, por serem pessoas que ocupavam altos cargos do Poder Executivo e Legislativo.

2) A ação foi aberta a pedido do Ministério Público Federal (MPF), que ofereceu denúncia ao Supremo Tribunal Federal (STF).

3) Quem está responsável pela acusação é o chefe do MPF, o procurador-geral da República, Roberto Monteiro Gurgel Santos.

4) Os crimes pelos quais os réus são acusados, segundo a denúncia do MPF, tiveram como resultado o uso indevido do dinheiro público.

5) Com o julgamento, o Supremo Tribunal Federal (STF) vai decidir se houve ou não crime, ou seja, vai definir se os réus devem ser absolvidos ou condenados e, neste caso, as penas que devem cumprir.


::CONFIRA NO SITE::
Acesse e saiba mais:
http://www.turminha.mpf.gov.br/honestidade/mensalao/turminha-fala-sobre-o-mensalao

E acompanhe a cobertura completa do julgamento:
http://veja.abril.com.br/tema/julgamento-do-mensalao

quinta-feira, 2 de agosto de 2012

Matemática em quadrinhos

Assistindo ao canal NBR tive a oportunidade de ver a reprise do episódio “Desafio da Matemática em Quadrinhos” da série Caminhos da Escola. O programa apresenta vários exemplos em que os conhecimentos matemáticos aparecem na nossa rotina e apresenta um documentário no qual são mostradas as etapas do desenvolvimento de atividades focadas na resolução de problemas em que se desenvolvem criatividade, trabalho em equipe, espírito de cooperação, tratamento de conflitos e formação de lideranças.

O documentário apresenta um desafio proposto, a partir da sugestão do professor de matemática Gean Pierre da Silva Campo, que consiste em transformar contos do livro “O Homen que Calculava” numa história em quadrinhos.

O desafio foi dividido em três etapas. A primeira etapa envolveu a escolha do conto que envolvia um problema, entre os apresentados no livro citado anteriomente, a adaptação do conto para um tema atual e a resolução do problema apresentado no conto. A segunda etapa consistiu na elaboração do roteiro da história em quadrinhos em que o problema apareceria num novo contexto, de acordo com o tema escolhido na etapa anterior. Na terceira etapa, a produção da história em quadrinhos propriamente dito foi efetivada.

Ficou interessado?
Então confira o plano de aula completo clicando aqui.

E assista abaixo o programa na íntegra:


quarta-feira, 1 de agosto de 2012

A história da tecnologia na educação

Em 2012 estamos comemorando 20 anos da Informática Educativa na Rede Municipal de Ensino de Caxias do Sul. Considero esse um momento muito importante para avaliarmos nossa prática e projetarmos o futuro.

Por acaso, encontrei esse vídeo na internet e acredito que ele ilustra bem nossa caminhada no uso das tecnologias na educação. Afinal, não estamos falando apensa de computador!


Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.